Mesmo com 'boom' de casos de covid, MS ainda não identificou casos da variante Ômicron

23/ 01/22
Mesmo com ‘boom’ de casos de covid, MS ainda não identificou casos da variante Ômicron
Mesmo com o surto de covid que abala a primeira semana de 2022, Mato Grosso do Sul ainda não tem casos comprovados da nova variante ômicron, considerada mais transmissível que as demais e responsável pela maioria das novas infecções no país, atualmente. De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), as amostras analisadas não acusaram casos da nova variante até a tarde da última quinta-feira (6).
PUBLICIDADE
A identificação das variantes em MS é feita por uma técnica de mapeamento genômico. No caso, o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul) colhe as amostras dos pacientes e envia para laboratórios de referência, que ficam em outros estados, como os da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Amazonas e no Rio de Janeiro, além do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.
Mas, nem todas as amostras precisam percorrer tantos quilômetros para serem analisadas. A secretaria ainda indica que parte das amostras são sequenciadas pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).
PUBLICIDADE
Risco iminente
Diante do risco da ômicron se instalar em MS, no mês passado, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, chegou a fazer um apelo para que os secretários municipais de saúde dos 79 municípios do Estado conclamem a população a reforçarem sua imunidade na vacina contra a Covid-19, a fim de que a variante Ômicron seja combatida com intensidade e não encontre “terreno fértil” para se propagar em Mato Grosso do Sul.
Também foram instaladas barreiras sanitárias no Aeroporto de Campo Grande e no Terminal Rodoviário, onde há grande fluxo de passageiros vindos de outras regiões. Nos locais, além de testagem, há vacinação gratuita dos frequentadores.
PUBLICIDADE
No data was found
No data was found