Alternative content

Get Adobe Flash player

Coronavírus

Dos 37 transferidos de MS por falta de UTI, 8 morreram e 6 tiveram alta

Desde o dia 4 de junho 37 pacientes foram transferidos para fora de Mato Grosso do Sul por conta da falta de vagas em UTI para pacientes com covid. Nesta quinta-feira (24), a Secretaria Estadual de Saúde divulgou um balanço de pacientes que tiveram alta e também dos que não resistiram.

PUBLICIDADE

Ao todo, foram registradas oito mortes, a primeira delas foi da douradense Nice Menani, de 52 anos, que morreu no dia 7 de junho, em Rondônia. Ela havia ido na primeira leva de transferidos, dia 4 de junho.

Depois dela, morreu um homem de 53 anos, de Maracaju que estava internado em São Paulo, outro homem de 66 anos, que morava em Campo Grande e também havia sido levado para São Paulo. O quarto óbito foi de um outro residente de Campo Grande, transferido para São Paulo e que tinha 76 anos.

No dia 16 de junho, morreu mais uma transferida, uma mulher de 57 anos que saiu de Maracaju para São Paulo. Dois dias depois morreu outra mulher, de 71 anos, de Campo Grande.

PUBLICIDADE

A penúltima morte foi de uma senhora de 62 anos, que morava em São Gabriel do Oeste, e morreu no dia 20 de junho, em São Paulo. O último caso foi de um douradense de 36 anos, que morreu há dois dias, também em São Paulo.

Existem ainda 23 pacientes internados. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, seis pacientes tiveram alta. Três deles estavam em Rondônia e voltaram para Mato Grosso do Sul no dia 11, 18 e 23 de junho, respectivamente.

Os outros três voltaram juntos, no dia 22 de junho do Estado de São Paulo.

No dia 11 de junho, a primeira paciente a ter alta e voltar para Mato Grosso do Sul emocionou a todos em um vídeo. Bruna Maria dos Santos Duarte, de 29 anos, havia passado uma semana na UTI de Rondônia.